Home / Noticias / Vale a pena ter um carro antigo no dia a dia?

Vale a pena ter um carro antigo no dia a dia?

Uma das maiores questões sobre carros antigos é entender a diferença entre veículos de coleção e veículos que são simplesmente velhos. Curiosamente essa distinção é menos simples do que pode aparentar.

Vamos falar de carros antigos para o dia a dia, quais são as vantagens e desvantagens que esse tipo de veículo traz e porque você deveria pensar em ter um desses (ou trocá-lo em um modelo mais moderno, se for o caso) e apartes daí entender que tipo de carro é o melhor para você.

 Como identificar o tipo de veículo que você tem em mãos?

Um ponto importante sobre carros antigos é que alguns deles podem ser uns bons investimentos e outros são apenas uns desperdícios de dinheiro, mas pode ter uma relação mais emocional com as pessoas.

Uma das primeiras divisões dos veículos é em relação à data e estado de conservação: veículos mais de 40 anos Jasão bons candidatos a carros de coleção, com uma quantidade razoável de valor sendo acrescido a eles. Carros que não vieram para o Brasil aumentam seus valores devido à raridade.

Outro ponto é o estado de conservação e quantidade de peças originais. Quando você tem um veículo com mais de 35 anos,com todas as peças originais em  lugares externos ( estofamentos, painéis,lataria) você tem um verdadeiro tesouro!

Quando o veículo é mais novo, mas de um modelo muito desejado ou que tem um “culto” ao redor dele (aqui no Brasil isso acontece muito com os primeiros modelos do “Gol quadrado” e do Opala, além do Fusca) a condição do veículo passa a ser mais importante. Embora os modelos menos bem cuidados possam encontrar compradores, que lidam com a parte mecânica e a pintura do veículo como parte do “hobby”.

Tirando esses aspectos, importante que o veículo antigo tenha sua parte mecânica em dia ele a pintura esteja em condições decentes, pois esses são os pontos fáceis de serem identificados por um eventual comprador como um problema.

Um carro antigo para o dia é uma boa ideia?

Na verdade, como em diversas questões, tudo vai depender. Existem ambientes em que o veículo antigo é a melhor opção,porque as peças dos modelos mais recentes são muito caras e as peças dos veículos antigos estão mais disponíveis e em conta.Em outros casos é o contrário,algumas peças ficam extremamente caras.

Nesse caso central é importante ter em mente que os veículos antigos tendem a gastar mais combustível, e isso com certeza pode se tornar um problema no logo prazo. Os impostos dos veículos mais novos são altos,especialmente porque  os veículos mais antigos não pagam IPVA.

Por outro lado, porém mais difícil fazer um veículo mais antigos passar em certas vistorias, e especialmente quando o assunto é a emissão de carbono, e eles também precisam de mais atenção e manutenção.

Agora, se você pretende fazer algum tipo de trabalho com o veículo que envolva passageiros, todos os aplicativos de motoristas autônomos. Como o Uber, tem restrições quanto aos veículos e o ano deles, sendo que sem um veículo mais novo você não consegue algumas tarifas especiais como o Uber Black.

Finalmente existe a questão do seguro. Alguns modelos mais antigos  simplesmente não conseguem contratos de seguro, e isso precisa ser algo a ser pensado, especialmente se você tem o costume de expor o veículo à situações de risco, como discá-lo na rua ou passar em bairros perigosos.

Com essas questões resolvidas, você consegue entender que manter o veículo mais antigo é algo que pode ajudar ou atrapalhar, sendo que passa a ser parte do processo compreender exatamente quais dos prós e contras são mais importantes para você.

Deixe uma resposta