Home / Noticias / Qual o carro mais econômico do Brasil?

Qual o carro mais econômico do Brasil?

Essa é uma pergunta que muitos se fazem, já que os combustíveis andam cada vez mais caros, e como se poderia esperar encontrou veículos mistos e totalmente elétricos na lista de mais econômicos. Isso, apesar de não ser surpreendente, é uma excelente novidade.

Apesar de esses veículos não serem exatamente baratos atualmente, e por isso mesmo serem um problema para quem precisa de economia e não tem dinheiro para comprar um carro de 150 mil reais, podem apontar para benefícios futuros, ainda mais com as recentes notícias sobre a Tesla.

Vamos falar sobre o carro mais econômico segundo o Ímpeto e mostrar quais são as possibilidades que isso pode trazer para as pessoas no geral.

Qual o veículo mais econômico do Brasil?

No final do ano passado o INMETRO conduziu uma pesquisa dentro dos modelos mais recentes de veículos e inclusive comparando com os mais antigos e a conclusão foi que o Renault Zoe, um dos veículos totalmente elétricos lançados no Brasil, é o mais econômico do mercado nacional, seguido pelo Toyota Prius, que faz a incrível marca de 17 km por litro de gasolina,

Esses números são bem impressionantes, e outros veículos na lista fazem uma série de números similares, o que é excelente para seus felizes proprietários.

Obviamente esses testes são feitos com os veículos com a manutenção 100% em dia e isso é um ponto fundamental aonde o usuário médio de veículos acaba perdendo eficiência.

Manutenção VS economia de combustível: investir para economizar.

Uma das maiores questões sobre a manutenção da eficiência energética de um veículo é exatamente a sua necessidade de manutenção e limpeza constantes no veículo para que isso seja possível.

O principal motivo pelo qual o veículo começa a “beber” demais é algum problema na parte da queima de combustível ou ainda combustível de baixa qualidade.

Também não adianta querer colocar gasolina de posto totalmente desconhecido e com cara de adulterado e esperar que o veículo rode perfeitamente.

É indispensável abastecer sempre em postos de qualidade e manter o veículo sempre coma limpeza e manutenção em dia mesmo que isso custe um pouco mais.

Qual o futuro da economia de combustível: quais são as possibilidades?

Uma tendência cada vez mais presente, que inclusive configura entre os veículos mais econômicos do INMETRO, são os veículos de matriz mista.

Isso significa que o veículo pode rodar tanto por bateria quanto por combustível,e isso faz dele um veículo muito mais autônomo e econômico,já que a carga da bateria não é tão cara quando comparada com a economia de combustível.

Com o aumento dos possíveis carros elétricos, o aumento da demanda por energia elétrica vai ser totalmente favorável para que as diferentes matrizes elétricas recebam estímulos governamentais e um mundo sem combustíveis fósseis passa a ser mais possível e considerável.

Outro ponto importantíssimo nisto é que enquanto essa política não é totalmente possível, as tecnologias mistas vão fazer com que a transição de uma para outra seja mais eficiente e plausível. Isso já existe, e a tendência é que ela se torne ainda mais presente nas vidas das pessoas.

Com isso, não é impossível que “kits elétricos” ou conversões para carros para a matriz misto elétrico/ combustível, assim como existiu com os carros á GNV passe a ser uma realidade. Se isso realmente acontecer, você pode esperar que esse tipo de tecnologia vai se tornar um sucesso dentre taxistas e Uber,e então para qualquer pessoa que tenha um consumo maior de combustível.

Com esse aumento do interesse, todas as empresas começarão a se adaptar á essas necessidades e pouco a pouco os postos de gasolina passarão a ser postos de recarga, ou ainda estacionamentos, aonde os veículos vão esperar sendo carregados e eventualmente recebendo manutenção.

O futuro dos veículos individuais pode ser muito mais interessante se esse tipo de inovação se tornar realmente popular,mas como sempre afirmamos,é difícil dizer se todas as cidades do mundo vão conseguir manter esse tipo de questão.

Possivelmente algumas cidades,especialmente as megalópoles como São Paulo,vão criar uma série de taxas adicionais no uso de veículos e isso estimulará o transporte coletivo,ou ainda o carpool.

 

Deixe uma resposta