Bitcoin Morreu? Finalmente a bolha estorou?

Principal criptomoeda do mundo, o Bitcoin vem preocupando os investidores nos últimos dias. O valor da moeda chegou a cair um quinto e bateu a marca de US$ 13 mil, sendo que nos últimos dias havia batido seu recorde e alcançado o valor de US$ 20 mil.

A queda do Bitcoin

Com essa queda, o termo “bolha” voltou a ser discutido nos principais sites de economia do mundo. Enquanto os entusiastas do bitcoin e das criptomoedas afirmam que é apenas um momento de reajuste e instabilidade, os críticos dizem que é apenas o começo do “estouro da bolha”.

A febre Bitcoin

Sendo pioneira no segmento de criptomoedas, a líder do mercado, Bitcoin, atraiu milhares de grandes e pequenos investidores. Com valorizações astronômicas, capazes de duplicar valores em poucas horas, logo o mundo apontou os olhos para essa possibilidade.

Aproveitando o crescimento do mercado, muitas outras criptomoedas tornaram-se populares. Recentemente, alternativas como o Litcoin e o BitcoinCash, duas criptomoedas emergentes, foram responsáveis por valorizações que ultrapassaram a marca de 200%.

Estourou a bolha do Bitcoin?

Especialistas já apontavam um reajuste para os últimos dias do ano. Além do Bitcoin, todas as principais criptomoedas (aquelas com maior capitalização) tiveram problemas. Nas últimas 24h, até a publicação desta matéria, o Bitcoin caiu 24%, enquanto o Ethereum perdeu 23% e o Bitcoin Cash 37%. Emergentes, Ripple, Litcoin e Iota tiveram -5%, -24% e -41% respectivamente.

Com essa queda, muitos pequenos investidores estão vendendo suas criptomoedas e tentando estancar os prejuízos (ou saindo enquanto ainda tem lucro). Com a queda e a desconfiança do mercado, o cenário é de reestruturação para o mercado.

Futuro das criptomoedas

O grande problema das criptomoedas é a desconfiança do mercado. A cada semana, durante períodos de queda, boa parte do mercado oscila e muitos investidores desistem de investir. Com isso, a instabilidade e a oscilação de valores é alta.

Outro detalhe importante que vem causando desconfiança é o problema da segurança digital. Se anteriormente eram comuns ataques a usuários, atualmente, com as medidas de segurança individuais, estão comuns o ataques a grandes empresas de trading, as chamadas “carteiras virtuais”.

Com empresas deste segmento declarando falência pelo roubo de criptomoedas e a falta de segurança para os usuários, o mercado tem reagido negativamente.

Até agora, no Brasil, nenhum grande roubo foi registrado. Pequenas ocorrências em transferências entre usuários são comuns, porém não causam impactos.

O Bitcoin em 2018

O Bitcoin devem voltar a subir no próximo ano, no entanto, de forma moderada. Com o fim de ano, a tendência é que seu valor oscile e até mesmo continue diminuindo. Para 2018, a valorização deve ocorrer logo nas primeiras semanas.

Neste contexto, é um bom momento para investir na criptomoeda. Antes de iniciar, pesquise muito sobre o mercado e entenda o funcionamento destas moedas. É preciso compreender os mecanismos de ajuste, além do fato da baixa aceitação do mercado na compra e venda de produtos com Bitcoin.